Rede Abelha

Loading...

Videos Angoleiros

Loading...

segunda-feira, 14 de fevereiro de 2011

Violencia Urbana!


No dia 5 de fevereiro, a capoeiragem baiana ficou chocada com a perda do contra mestre Jorge, 34, do Grupo de Capoeira Angola Pelourinho. Ele foi morto a tiros em frente do Forte da Capoeira, logo após sair da tradicional roda de capoeira que o seu grupo realiza já há 29 anos naquele forte. Pelo que sabemos, o jovem levava uma vida tranqüila e dedicada ao exercício da capoeiragem. O bairro sofre de uma grave crise de segurança e este episódio não está desvinculado deste contexto. Durante os anos em que treinei no Forte de "Santo Antonio, vi muita coisa! Eram tempos difíceis aqueles! O trafico de drogas, acontecia lá dentro, principalmente naquele corredor de entrada, que durante a noite era bem escuro. Tínhamos necessariamente que passar por ali para chegarmos ao treino de capoeira. O fedor de mijo e cocô dava a idéia do quanto o local era mal cuidado. O salão com piso em xadrex do Gcap era o que se poderia chamar de um "oasis" naquele ambiente de degradação. Os orgãos oficiais do estado não estavam nem ai... Faziam vista grossa mesmo! A coisa só não era pior por causa dos grupos organizados que possuíam atividades lá dentro, como era o caso do Ilê Ayê, do GCAP, Os Negões e outros. A presença dessas entidades no Forte foi o que segurou a barra de outras coisas que poderiam ter acontecido de ruim por lá. Naqueles tempos, ainda não existia o trafico de crack, o que na minha opinião, tornam as coisas mais violentas hoje em dia. Depois que o modulo policial foi instalado no largo defronte ao Forte, as coisas melhoraram com relação a isso. Já há muitos meses porem, esse modulo policial está desativado, ao mesmo tempo em que cresceu em toda a cidade, os pontos de venda de crack e a violencia que deles decorrem. Mas, assassinato nunca tinha visto acontecer por lá, levando-se em conta que hoje a presença do Estado é maior que antes. O contra mestre Jorge estava se dedicando ao preparo do evento que começaria 3 dias depois daquele fatídico dia. Soube inclusive, que ele foi formado "mestre" durante este evento. Uma justa homenagem "in memoriam" ao discipulo que se foi. Com certeza foi um dia triste para a historia da capoeiragem na Bahia.

Um comentário:

Perro Blanco disse...

Caro Mestre Poloca. Hoje encontro a noticia e fico bem desconcertado. Na minha última viagem a Salvador tive a fortuna de conhecer ao Contra Mestre Jorge no GCAP, até de tomar uma aula com ele e Márcio. Eles me receberam de jeito ótimo. Que coisa mais triste. Acho que só é possível continuar com esse amor que ele tive para a Capoeira. Puxa...

Saudades de vocês. Dante (México)