Rede Abelha

Loading...

Videos Angoleiros

Loading...

sexta-feira, 19 de março de 2010

Educar, instruir e ensinar!

Ano passado, tivemos aqui no Nzingasalvador, a presença de 3 integrantes do Nzingasampa: O Anderson, o Maurinho e o Luis Rasta. Chegaram aqui no dia 3 de Julho/2009. Se eles bem soubessem o que os aguardaria aqui no dia 2, com certeza teriam dado um jeito de chegar um dia antes para acompanhar a Cabocla e o Caboclo num cortejo maravilhoso do bairro da Lapinha até o largo do Campo Grande, representando de fato a Independencia do Brasil, mas a gente aqui chama de Independencia da Bahia.   Neste dia, já aconteceram  grandes rodas, assim conta a historia. Só para falar numas mais ou menos recentes em que pude estar presente, cito as varias que o GCAP realizou na decada de 80, que aconteciam no largo do Campo Grande, local onde está o monumento do Caboclo e para onde converge o cortejo. A FICA, com o mestre Valmir, há varios anos realiza neste dia, uma grande roda de capoeira na entrada do Largo Dois de Julho.  A chegada dos 3 rapazes aqui, foi alguns dias depois de visitarmos por quase uma semana a capital paulista, por ocasião da comemoração dos 14 anos da matriz do grupo Nzinga, que aconteceu antes do São João, quando fomos ineditamente acompanhados de pelo menos 4 alunos daqui de Salvador. A missão foi participar do evento comemorativo dos 14 anos, gravar o nosso segundo CD e festejar o Batizado do Boi, mega evento que acontece no Morro do Querosene, promovido pelo grupo Cupuaçu, sob a batuta do mestre Tião Carvalho. No que diz respeito à organização do evento de capoeira, foi perfeita! Deu tudo certo. Certas aprendizagens, as vezes necessitam de mais tempo para cristalizarem-se em atitudes e mudancas de comportamentos.  Que bom! É como o sofrimento de quem nasce: num minuto está mergulhado num liquido quentinho, confortavel e essencial à vida, e no outro está exposto ao ar do mundo exterior, estranheza essa que lhe provoca o primeiro choro mas, a partir daquele momento, tambem essencial à vida. Bom, nasceu afinal de contas e isso é motivo de se festejar! A desenvoltura e organização dos nzingueiros de sampa realmente são dignas de elogios. Foram dias e dias de trocas, ensinamentos e aprendizagens aqui em Salvador, espero que os 3 meninos de sampa tenham compartilhado de todas as maneiras, as experiencias vivenciadas aqui com os outros que não puderam vir. Educar, ensinar e instruir: eis o desafio.
Essa postagem ja devia ter sido publicada há meses, mas por motivos pessoais (ha!ha!ha!), não foi possivel. Outras tecnologias foram experimentadas, testadas e reprovadas. Estamos de volta ao velho e bom blog.

Uma pequena mostra de como se toca o xitende, arco musical moçambicano, em evento ocorrido na provincia de Xai-Xai em janeiro de 2010.
Tamojuntos!