Rede Abelha

Loading...

Videos Angoleiros

Loading...

domingo, 29 de janeiro de 2012

Terceira Roda

A nossa terceira roda de capoeira do ano, realizada na ultima sexta feira, foi igualmente à segunda, muito boa! Foi uma roda caseira, quase toda ela, salvo duas garotas capoeiristas que nos visitaram nos ultimos 30 minutos do encontro mandingueiro. Teve ainda a participação da Raquel, que está de passagem pela capital baiana e do Fernando Vulcão, ambos do Nzinga SP. O Diogão tambem está pela capital baiana, com exceção desses dias que antecedem à festa do mar. Já estamos vendendo a camiseta da festa do dia 2 de fevereiro por apenas 15 reais. Está muito bonita! A feijoada custará tambem 15 reais. Estamos prontos e esperando o grande dia! Venham nos prestigiar e apoiar com a sua presença! Até lá...

quarta-feira, 25 de janeiro de 2012

Iemanjá protege quem protege o mar!


Pela primeira vez em sete anos, desde que mudamos para a comunidade do Alto da Sereia, entraremos na semana da festa no mar com tudo dentro do planejado. Em outras palavras, haveremos de apenas treinar capoeira nos dias que antecedem à festa, coisa que geralmente fica comprometida com as demandas necessarias para que tudo dê certo para receber voces. As camisetas para este glorioso evento ja estão disponiveis. Quem quiser adquiri-la antes, pode nos procurar no Nzinga. É isso, estamos prontos e esperando voces neste dia. Roda, samba, feijão e folia!

sábado, 21 de janeiro de 2012

Malungada!

Este ano todo estarei celebrando meus 30 anos de capoeira angola, juntamente com as “Malungas”Janja e Paulinha. Em 2007, rolou o evento chamado “Malungos”, que significa: companheiros de viagem. Contou com o Nzinga (Poloca, Janja e Paulinha), com a Fica (Valmir) e com o Zimba (Boca do Rio) e marcou a passagem dos nossos 25 anos de capoeira. A primeira ideia é de que o faríamos de 5 em 5 anos. Este ano novamente deveremos realizar alguma coisa em conjunto. Aguardem!

sexta-feira, 20 de janeiro de 2012

Segunda Roda do ano!

Lembro-me que no ano passado comecei a contar e descrever como estavam sendo as rodas aqui no Nzinga. Sei que depois de varias rodas ótimas, esqueci de continuar descrevendo enquanto me lembrava de escrever sobre outras tantas coisas que abordei aqui neste bloguinho. Hoje faremos a segunda roda do ano. A primeira roda, semana passada, aconteceu no dia seguinte à festa do Bonfim, 12. Foi a primeira sexta feira 13 do ano. Foi bem legal, pois estávamos ainda com o espirito elevado do dia anterior, apesar das nossas vozes ainda não estarem plenamente recuperadas. Estamos no maior agito para o evento do dia 2 de fevereiro, então tudo é ingrediente para a festa no mar, que este ano tem apelo especial por se tratar do ano em completamos 30 anos de capoeira. Então, no Nzinga este ano, teremos o ano todo de celebração. Compareçam, nos visitem e celebrem conosco esta passagem de nossas historias.

quarta-feira, 18 de janeiro de 2012

Caiu na rede é peixe!

Pela primeira vez, desde que instalamos internet e telefone aqui no Grupo Nzinga, escrevo neste previlegiadíssimo forum. Tenho que admitir que é demais! Apenas uma porta separa-me da aula que a mestra Paulinha está dando no salão principal. O ritmo da capoeira pulsa e soa-me como um “musak”, tão companheiro em longas esperas e alimentador de esperanças. Primeiro, ela utilizou o nosso cd Nzinga. Mais adiante, utilizou a bateria completa da capoeira. Iê!... Ouve-se um profundo silencio! Silencio total... No salão, ensinamento dado... na salinha, silencio de novo. Enquanto digitava essas esperançosas palavras, o gunga bem afinado no grave, invade o ambiente como se fosse uma lança com a ponta arredondada. A musica se eterniza neste momento. Eterna por um instante! Escuto: minha sereia rainha do mar, não deixe meu barco virar...
Berimbau me chama!

Enredado!

Pela primeira, desde que instalamos internet e telefone aqui no Grupo Nzinga, escrevo para este previlegiadíssimo forum. Tenho que admitir que tem um certo ar de magia! Apenas uma porta separa-me da aula que a mestra Paulinha está dando no salão principal. O ritmo da capoeira pulsa e soa-me como um “musak”, tão companheiro em longas esperas e alimentador de outras esperanças. Iê! Ouve-se(?) um profundo silencio! Silencio total... No salão, ensinamento dado... na salinha, silencio de novo. O gunga, bem afinado no grave, invade o ambiente com seu som, ajudado por um vento forte que o faz soar, inclusive por baixo e por detrás das coisas.  A musica se eterniza neste momento. Eterna por um instante! Escuto: minha sereia rainha do mar, não deixe meu barco virar...
Berimbau me chama!