Rede Abelha

Loading...

Videos Angoleiros

Loading...

segunda-feira, 19 de julho de 2010

Novas gerações!

Ontem, domingo, tivemos na sede do grupo Nzinga em Salvador, um encontro no minimo inusitado. Estavam as novas gerações de 3 instituições que desenvolvem trabalhos com a Capoeira Angola. As crianças da Fundação Pierre Verger, sob a coordenação do m. Gabriel, as do Projeto Pequenos do João coordenadas pela treinel  Nani e as do Instituto Nzinga. Aquele foi o terceiro encontro entre eles.  Fora o fato de terem que ensaiar para as gravações de um cd de estoria, a interação entre eles é forte. Este cd fará parte do livro. Se pensarmos que muito daquelas tantas crianças ficarão para sempre na capoeira, então terão  a chance de serem amigos a vida toda umas das outras. Essa ideia é legal! A maioria dos meus amigos mais antigos são da capoeira e olha que comecei depois dos vinte anos. O velho Pastinha ja disse que a pessoa que tem muitos amigos é uma pessoa corajosa. Ontem conheci a menina Janaina , 9, do Pequenos do João e ela me disse que começou com a capoeira aos dois anos. Só sei que nada sei…mas sou capaz de apostar que isso fará diferença no final.  Destas gravações tambem farão parte os mestres João Pequeno e Boca Rica.  Uma bela conexão de opostos unindo o novo com o antigo. Com certeza teremos nos proximos meses um documento de grande valor para a historia da capoeira na Bahia e no mundo.

quinta-feira, 15 de julho de 2010

Bye Bye London!

      Cheguei ontem do Reino Unido. Passei antes em Varsovia, capital da Polonia e em Marburg, pequena cidade localizada na região central da Alemanha. Penso que Londres tem ainda um processo para experimentar antes do seu ritual de passagem para a fase adulta no contexto da capoeira angola. Com trabalhos reconhecidos la, os mestres Carlao e Joaozinho me receberam muito bem em seus grupos. Obrigado!
     Esta foi a segunda vez que estive em Londres e a cidade tem um charme especial. O lugar onde mais vi pessoas exóticas por metro quadrado. E' legal isso! Fui em alguns pubs bem decentes.
     Em Varsovia, e' aquela coisa de começar do começo… nao existe capoeira angola, ate onde eu sei…e' uma capital européia com sérios problemas econômicos e sociais. Nao e' nenhuma Londres, mas consegue mostrar os ares de modernidade. Por outro lado, também consegue mostrar algumas coisas parecidas com coisas de países de terceiro mundo.
    Talvez ja tenha me referido em outras postagens a cidade de Marburg. Ha cinco anos existe um pequeno núcleo do Grupo Nzinga la'. La também nao existia nada parecido. De seus 80 000 mil habitantes, 30 000 sao estudantes. Imaginem que rola uma grande rotatividade de pessoas e muitas baladas la' ne'? Cada uma destas 3 cidades busca o seu caminho na definição de uma identidade no novo mapa da capoeira, na medida em que esta cada vez mais se espalha pelo mundo.

sexta-feira, 2 de julho de 2010

Viva Deutschland!

Agora sim, o verao. 38 graus! Apesar da sensacao termica nao ser igual aos 38 graus que temos no Brasil. Isso tem haver com a luminosidade, com o valor do "albedo", que e' a unidade que mede a claridade do sol. Aqui na europa, se nao me engano, e' 6% menor que no Brasil e por isso os nossos 38 graus sao mais quentes que os 38 graus daqui, se ligaram? O certo mesmo e' que todos estao curtindo muito os parques e ambientes ao ar livre. Ha uns 3 dias atras Assisti ao jogo do Japao com o Paraguai em um lugar chamado "prainha". Era o espaco de um estacionamento de um grande banco alemao que estava sendo utilizado como area de lazer em Marburg. Todo o chao esta coberto por areia, mesas e sombreiros grandes, pequenas palmeiras em grandes vasos e um bom servico de bar. Varias TVs grandes localizadas em posicoes estrategicas do espaco e otimas cadeiras de praia com recosto na cabeca. Neste dia fomos surpreendidos por uma chuva forte e fomos obrigados a nos abrigar. Ontem, o Mastrinho me levou numa especie de clube de piscinas. Paga-se para entrar. Tinha tanta gente que foi impossivel nao lembrar do "Piscinao de Ramos", la no Rio de Janeiro, que anos atras foi cenario de uma das novelas de sucesso da rede globo. Fiquei muito tempo no sol e nao consegui "pegar um bronze". Me lembrei de trazer um protetor solar do Brasil, mas percebo agora que nao vou utiliza-lo. Hoje tera o jogo do Brasil com a Holanda. Aqui, tenho visto nas ruas muitas manifestacoes dos torcedores alemaes, tal qual acontece no Brasil. A maioria dos carros ostenta a sua bandeirinha, as pessoas tocam as suas vuvuzelas, muitas mulheres fazendo isso. Ai no Brasil, isso quem faz sao os homens. Tem me atraido a atencao de fato, essa demonstracao do nacionalismo alemao. Depois da guerra, esse tipo de emocao ficou contida por conta de tudo aconteceu. Sair as ruas abracado a uma bandeira poderia parecer apologia a um tempo que ja passou e que deixou marcas profundas na consciencia do povo.  Lembro-me que em 2007 quando estive aqui a primeira vez e comprei um casaco estilo militar para encarar o frio de -5 C, achei melhor tirar duas bandeirinhas alemas que tinha nas mangas do casaco, pois logo em seguida seguiria para os EUA e achei que os americanos nao iriam gostar muito delas. Conversando com pessoas que moram aqui, soube que esse movimento de resgate da auto estima por sua bandeira vem acontecendo desde a copa de 2006 aqui na Alemanha, num movimento que os jovens desencadearam sem medo de serem criticados ou rotulados. A partir deste canal aberto pelos jovens, a alegria de toda uma nacao manifesta-se de maneira mais espontanea e efusiva nos jogos da selecao alema. Hoje participei de um bolao por 5o centavos de euro e arrisquei 1  X 0 para o Brasil contra a Holanda e 1 X 0 para a Alemanha contra os argentinos. Quem aposta?