Rede Abelha

Loading...

Videos Angoleiros

Loading...

terça-feira, 27 de março de 2012

Cine Sereia, o retorno!

Depois de alguns meses fora do circuito, o CINE SEREIA volta à cena do movimento cineclubista baiano com as energias renovadas. Depois de varios problemas técnicos, com avarias em muitos dos equipamentos, além da perda de pessoas que compunha a equipe, voltamos com novo enfoque conceitual. Antes, a programação era quase que totalmente voltada para o publico infantil. Nessa fase atual, vamos diversificar quanto aos seguimentos a serem contemplados. O principal e mais caro equipamento que é o datashow, ficou intacto. Como somos um grupo que sobrevive às próprias custas, sem patrocinio de ninguem, foi preciso um tempo para encaixar as despesas decorrentes  da quebra de parte desses euipamentos. A aquisição inicial dos equipamentos foi graças  ao edital do Ministerio da Cultura chamado de Cine + Cultura (2009) e que foi de importancia fundamental para essa frente de atuação do grupo, o cineclubismo. Passaram-se 2 anos desde a primeira sessão do Cine Sereia. Foi no dia 18 de março de 2010. Nova fase! Projetamos o filme “Histórias da Bahia”- Vol.1 - A Ladainha. Feito por Fabricio Apolo, colombiano capoeirista e amigo. Lançado em 2011, o filme mostra depoimentos de mestres a respeito da ladainha e de outras mandingas. Ao mesmo tempo, criamos também um outro momento para fazermos uma pequena exibição nas sextas feiras, as 18 hs, antes de começar a nossa roda, marcada para as 19 hs.

sábado, 24 de março de 2012

A décima

Sou suspeito prá falar, mas a décima roda foi bem legal! Muitas cabeças, corpos, sentimentos e almas vibrando numa mesma sintonia e com a mesma melodia. A alegria de ser livre por um momento! Um instante mágico... às vezes não acontece. Sinal que algumas coisas não se harmonizaram naquela hora. Muitas pessoas nos visitaram neste dia. Algumas delas, as vezes, chegam atraídas pela musica que ouvem quando passam pela avenida oceânica.  
Depois de meses de hibernação, agora que nós reativamos o Cine Sereia nas quintas feiras alternadas, concomitantemente também criamos mais um momento para ficarmos defronte ao telão todas as sextas feiras, às 18 hs. O objetivo é que essas sessões exibam imagens e videos de capoeira, de jogos ou falas importantes dos mestres. Nas sessões da quinta, abordamos os mais variados temas e onde o debate pós filme é obrigatório. Apesar de ser facultativo nessas sessões de sextas, o debate foi bastante rico e informativa. Exibimos meia hora de filme da roda ocorrida em 2008 quando o mestre JG  veio nos visitar no Alto da Sereia. Foi bom ver, naquela época, crianças como Antonio, Bruna, Janete, Anderson, Vinicius, Rafael, Leo e Marquinhos jogando e mandingando como gente grande. Hoje, alguns já são adultos e tocam as suas vidas baseadas em valores e principios apreendidos na vivencia da capoeira. Apesar de alguns deles estarem afastados do dia a dia do grupo, mantêem ainda o sentimento de pertencer ao Nzinga. E não por acaso, essa ideia do “pertencimento” nos é preciosa! Esses jovens, com essa ideia, sabem onde fica o seu “Norte”. A partir do momento em que sabem uma direção, as outras se definem automaticamente. Essa é a esperança!

sábado, 17 de março de 2012

A Nona Roda

A Nona Roda do ano no Nzinga foi mais que especial. Foi especialíssima! Mais uma vez recebemos as crianças do Alto da Sereia, as que treinam capoeira e as que não treinam, mas que estão sempre por lá. A única pessoa que nos visitou ontem foi o mestre Valmir e, por isso foi tão especial a nossa roda ontem. Irmão desde os primeiros tempos na capoeira, Valmir cantou, tocou e jogou com o espírito da diversão e da  brincadeira. No final, o mestre valmir deu sugestão e contribuiu com os ensinamentos fundamentais, deixando seu axé no chão da nossa casa.

sexta-feira, 16 de março de 2012

Ao céu, vai quem merece!

Para o estudante que está há algum tempo inserido em algum tipo de trabalho ligado à cultura popular e à tradição, como é o caso da capoeira, sabe que é importante construir uma relação de confiança com o seu mestre. "Um mestre tem muitos segredos, mas não nega a explicação” (M.P). Cada um terá a explicação que merecer. Uma vivencia virtuosa no decorrer dos anos, nos credencia a ser merecedores das melhores explicações e segredos dos mestres. 

domingo, 11 de março de 2012

A oitava Roda!

Na ultima sexta, dia 09 de março, fizemos mais uma roda sob a aura da paz e humildade que norteia o nosso trabalho. Lembro a voces que no dia anterior foi o dia internacional da mulher e que, também é a data de aniversario do Grupo Nzinga, fundado em 1995. Façam as contas de quantos anos completamos! Adultas capoeiristas tinham poucas, mas meninas capoeiristas tinham muitas. Tiveram meninas que não “jogam” capoeira mas fizeram questão de entrar e tentar um jogo, só com os elementos que tinham na memória e no subconsciente, pois sempre estão no entorno das nossas aulas. A roda era das mulheres e elas sabiam que estavam contempladas naquele momento. Avisamos para algumas pessoas levarem frutas. Rolou uma tremenda mesa de frutas e outras milongas mais. A criançada espera até o ultimo momento para zarpar, deixando para trás um certo silencio e calmaria. Novamente, o Carrinho da Alegria que fica pertinho do Nzinga, foi o caminho tomado para a balada. Samba Butiquim no couro!

quinta-feira, 8 de março de 2012

Viva as Mulheres!

O dia 8 de Março é o dia internacional da Mulher! Também é o dia do aniversario do Grupo Nzinga de Capoeira Angola. Dia 8  de Março de 1995 foi o dia de sua criação. A mestra Janja quem o concebeu em seus primeiros tempos de morada na cidade de São Paulo. Lembro-me que ela saiu do I Encontro Internacional de Capoeira Angola, promovido pelo GCAP em 1994, direto para o aeroporto rumo à terra da garoa, onde morou por 12 anos. Eu e a mestra Paulinha tambem fomos para lá  no ano de 1998 e nos juntamos a ela, onde ficamos até janeiro de 2002. Quase 3 meses após o nosso retorno à capital baiana, fundamos também aqui o Nzinga, no dia 23 de Abril. Completamos  em Salvador a nossa primeira década. No Alto da Sereia chegamos no ano de 2005. Comemoraremos no dia de meu aniversário, no próximo dia 18 de agosto, 7 anos que estamos fazendo capoeira dentro da comunidade altossereiense. Sete anos! Outro numero bem interessante. Vimos algumas crianças atingirem a fase adulta. Um processo longo, dificil e real de educação. Acompanhar durante tantos anos um processo de aprendizagem como é o da capoeira angola, inevitavelmente nos faz lançar um olhar para o passado e perceber que o compromisso está sendo honrado com a tradição e com os deveres de capoeirista no presente, alimentando a esperança de no futuro ver esses jovens protagonizando as suas trajetórias vitoriosas, sejam elas na capoeira ou em qualquer atividade em que se proponham a fazer.

A cor de um olhar!

Outro dia, semana passada, trabalhando durante a tarde, vi a lua. Parecia tão sem segredos ou mistérios que cheguei a pensar que não fosse ela mesma. Musa inspiradora de tantos amores e poesias, tava sem vaidades naquela hora. O calor tava infernal e o transito limitava a minha inspiração. Voces já ouviram falar que a gente sempre vê a mesma face da lua? Pois é, já ouvi isso... São Jorge do jeito que é esperto, foi dar uma rolé na outra face , no lado escuro, em busca de aventuras mais frescas. Falando assim da lua, faz-me lembrar da fabula  de um senhor sentado a beira da estrada, na entrada de uma cidade, sob a sombra de uma grande arvore quando um visitante encosta o carro e lhe pergunta: Senhor, como é esta cidade ai? O velho antes de responder àquela pergunta, indaga ao visitante: primeiro me diga como é o lugar de onde voce está vindo e só então te responderei. O visitante lhe responde então que o lugar do qual está vindo é muito bom e que deixou excelentes amigos lá... o velho então lhe revela que aquela cidade é exatamente assim e que ele fará grandes amizades e será um temporada maravilhosa. Muitas vezes as virtudes ou a falta delas está apenas no “olhar".

terça-feira, 6 de março de 2012

A Sétima Roda

A sétima roda foi demais! Tivemos algumas visitas, mas as presenças mais marcantes mesmo foram as das crianças do Bate Facho que integram o Grupo Zimba. A Flavia Diniz, integrante do Zimba, estava liderando essa jornada. Foi muito bom para o nosso chão!  Ngunzo !