Rede Abelha

Loading...

Videos Angoleiros

Loading...

terça-feira, 17 de maio de 2011

Broto de limão rosa!

Lembro-me que entre 1986 e 1990, o mestre João Grande era tambem um dos mestres do gcap, ao lado dos mestres Moraes e Cobra Mansa. Outra dia escreverei como foi que se deu essa vinda do mestre para o gcap. Agora quero apenas contar a historia do dia em que o mestre João Grande chegou para o treino lá no Forte de Santo Antonio, com duas vergas na mão.Acho que aconteceu no final da década de 80. Eram vergas especiais, raras! Eram de broto de limão rosa! Eram um pouco mais grossas do que a bitola que normalmente usamos para fazermos berimbau com verga de biriba. Apesar de serem mais grossas, eram mais leves e com a superficie irregular, como se tivesse muitos "nós". Cada discipulo tinha que ter o seu berimbau para as aulas de ritmo que aconteciam todas as terças feiras, na primeira meia hora de aula. Ao termino da aula, cada um pendurava o seu berimbau em um prego na parede. Nesta época, eu era o coordenador da comissão de instrumentos e já possuía o meu berimbau. Aconteceu que o mestre João trouxe as vergas para que eu confeccionasse os berimbaus. Um seria dele e o outro meu. Sempre tive sorte!... Fiz os berimbaus de broto de limão rosa! Pintei-os com cores bem fortes. Ficaram lindos! Na minha verga eu entalhei "CAPOEIRA ANGOLA". O berimbau do mestre era um gunga e o meu foi um médio. Modéstia à parte, ficaram bons demais! Nas terças que se seguiram, estava eu lá arrebentando com o meu berimbau, marcando a maior presença no treino. A galera ficava ligada e sabia que aquele arco estava falando alto. O do mestre nem se fala! Gunga da melhor qualidade. Não demorou muito para os nossos berimbaus serem escalados para compor o ritmo das grandes rodas que aconteciam, e acontecem até hoje, aos sábados, às 19 hs. Os berimbaus do gcap eram mais robustos, com vergas mais grossas e por isso duravam mais tempo. Às vezes, marcavam uma fase do grupo como tendo uma bateria com os melhores berimbaus de uma época. A minha verga de limão rosa eu tenho até hoje. Quem visitar o Nzinga poderá vê-la. Está surrada, mas está inteira! O mestre João Grande também tem ainda o seu berimbau de broto de limão rosa. Quem for na academia dele em NYC, também poderá vê-la.

Nenhum comentário: